ONDA DE GOLPES DIGITAIS FAZ VÍTIMAS EM MISSAL E EM ITAIPULÂNDIA

Em Missal uma vítima perdeu R$ 50 mil no "golpe dos nudes".

Anuncie aqui

Nas últimas semanas, uma onda de golpes aplicados por meio de aplicativos de conversa e redes sociais tem resultando em um aumento expressivo nos registros de ocorrências e na procura por orientações nas delegacias de Missal e Itaipulândia. A sofisticação desses golpes tem impressionado as autoridades, que alertam a população sobre a necessidade de cautela.

O golpe do Pix, em que criminosos se passam por conhecidos e solicitam dinheiro por meio de mensagens no WhatsApp, tem se destacado como um dos mais comuns. Sargento Frasson, da Polícia Militar de Itaipulândia, revela que a procura por informações aumentou significativamente, mais de 30 nas  últimas semanas, cerca de duas a três pessoas buscam ajuda diariamente, embora muitas não formalizem o registro por vergonha do golpe sofrido.

Outra modalidade que tem preocupado as autoridades é o “golpe dos Nudes”, onde estelionatários usam identidades fictícias e imagens reais de mulheres sensuais para seduzir homens em aplicativos de mensagens. Após a troca de fotos íntimas, os criminosos alegam que as mulheres são menores de idade, passando a extorquir dinheiro sob ameaça de divulgação das fotos e conversas comprometedoras à polícia e familiares das vítimas.

Só em Missal, nos primeiros vinte dias do mês de janeiro foram registrados cerca de vinte e cinco boletins de estelionato ou notícias de crimes praticados por dispositivos eletrônicos. Teve um registro onde a vítima sofreu prejuízo de mais de 50.000,00 reais no “golpe dos nudes”, e várias outras vítimas que perderam R$ 10 mil, R$ 15 mil, R$ 20 mil e R$ 30 mil.

Outro crime que também vem fazendo muitas vitimas é o golpe conhecido como “três cantos”, com a venda de carros através de aplicativos de vendas de objetos, casas e carros, em Missal uma vítima teve um prezuízo de mais de R$ 170 mil na compra de um carro. A dica nesse caso é pesquisar sobre o vendedor antes de começar a negociação.

Sargento Frasson, enfatiza a importância do registro de ocorrências e orienta a população a verificar a identidade de quem solicita Pix, especialmente quando a abordagem é feita por números desconhecidos. No caso dos golpes envolvendo fotos íntimas, a polícia aconselha a não enviar imagens para desconhecidos, evitando assim a chantagem que tem vitimado, principalmente, homens casados ​​com mais de 30 anos.

A mensagem central é clara: diante de qualquer situação suspeita, é crucial acionar a polícia, registrar o boletim de ocorrência e preservar evidências como prints das conversas. Somente com a colaboração da comunidade será possível identificar e punir os criminosos. A prevenção é a melhor arma contra a ameaça crescente dos golpes virtuais.

Fonte: Oeste Agora – Fotos ilustrativas feitas pelas vítimas e divulgadas em reportagens no Brasil.

Anuncie aqui