Agilidade permite adesão do município de Missal ao SUSAF-PR

A Adesão possibilita a venda de produtos das agroindústrias de Missal para todo o Estado.

Anuncie aqui

O Diretor Presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (ADAPAR), Otamir Cesar Martins, assinou no dia 13 de junho o Certificado de Adesão de Missal ao Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte do Estado do Paraná (SUASA-SUSAF-PR).

Com essa medida, as agroindústrias registradas no Serviço de Inspeção Municipal de Missal (SIM/POA), que estiverem de acordo com as normas do SUSAF-PR, poderão vender seus produtos para todo o Estado.  Antes, para romper as divisas municipais, havia necessidade de registro no Serviço de Inspeção Estadual do Paraná (SIP-DIPOA).

Missal é a 34º cidade/consórcio do Paraná a aderir ao SUSAF/PR. Esse programa tem o objetivo de promover a equivalência entre os serviços de inspeção municipais e estadual e é destinado especialmente às agroindústrias familiares e às de pequeno porte.

Essa é uma grande conquista para o Município de Missal, um dos primeiros da região oeste do Paraná a conseguir a adesão. Esse foi um trabalho em conjunto liderado pelo SIM/POA de Missal, que contou com o apoio do poder executivo, através das Secretarias de Agricultura e Administração, que não mediram esforços para estruturação do SIM/POA.

Além disso, o apoio do poder legislativo, através dos vereadores, que trabalharam com agilidade e seriedade nas atualizações necessárias da legislação e regulamento municipal; bem como, do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR) com o assessoramento técnico. Municípios da região que iniciaram os trâmites bem antes de Missal ainda não conquistaram a adesão.

Os estabelecimentos interessados em obter o selo SUSAF-PR devem estar com o registro atualizado no SIM/POA, além de implantar e monitorar os Programas de Autocontrole (PACs) no estabelecimento, como:

– Manutenção (incluindo iluminação, ventilação, águas residuais e calibração);

– Água de abastecimento;

– Controle Integrado de Pragas;

– Higiene Industrial e Operacional;

– Higiene e Hábitos Higiênicos dos Funcionários;

– Controle de Matéria Prima;

– Controle de Temperatura;

– Análises Laboratoriais; entre outros.

As agroindústrias também devem possuir profissional responsável técnico legalmente habilitado para a industrialização e conservação dos produtos.

Fonte Assessoria

Anuncie aqui