SUSPEITO É PRESO POR CRIME HEDIONDO: CORPO DE MULHER OCULTADO EM MALA

Polícia Civil de Foz desvenda crime bárbaro e prende um dos envolvidos, enquanto outro permanece foragido.

A Polícia Civil do Paraná, em uma operação conjunta com a polícia Civil do Rio Grande do Sul, conseguiu prender um dos suspeitos de um crime chocante: o assassinato de uma garota de programa e a ocultação do corpo em uma mala. O crime ocorreu em Foz do Iguaçu, onde o corpo da vítima, identificada como Gabriele da Rosa, foi encontrado em um terreno baldio no bairro Porto Belo, em 18 de dezembro de 2023.

As investigações revelaram que a vítima estava desaparecida desde 13 de dezembro, após ter ido à casa de um cliente, identificado como Otávio, para um encontro sexual. A polícia conseguiu rastrear Otávio até o local de trabalho, onde descobriu que ele não compareceu ao trabalho no dia seguinte ao desaparecimento da vítima e pediu demissão sem justificativa, entregando as chaves do apartamento onde vivia.

A perícia na residência de Otávio encontrou vestígios que se assemelhavam a sangue, sugerindo que ali poderia ter ocorrido um crime. Além disso, imagens de câmeras de vigilância mostraram Otávio arrastando uma mala em via pública em direção ao local onde o corpo foi encontrado. Com base nessas evidências, a polícia obteve um mandado de prisão preventiva contra Otávio.

Durante as investigações, a polícia descobriu que o enteado de Otávio também poderia estar envolvido no crime. Após ser interrogado, o enteado confessou ter participado do assassinato, alegando que agiu em legítima defesa. Ele admitiu ter desferido oito golpes de faca na vítima, enquanto seu padrasto assistia ao crime. Após o assassinato, eles continuaram usando drogas enquanto o corpo da vítima permanecia no local. Somente mais tarde decidiram ocultar o corpo em uma mala e fugir para a cidade de Curitiba, onde se esconderam.

Com a confissão do enteado, a polícia emitiu um mandado de prisão contra ele, que foi cumprido imediatamente. No entanto, Otávio Rafael Felicetti, o padrasto, permanece foragido.

A Polícia Civil do Paraná pede a colaboração da população para localizar o suspeito foragido. Denúncias podem ser feitas anonimamente pelos números 197 (PCPR), 181 (Disque-Denúncia) ou pelo telefone (45) 99932-11736, diretamente à equipe de investigação. A polícia aguarda o laudo do exame de necropsia para concluir as investigações.

Anuncie aqui