“PROGRAMA METANO EVITADO SICREDI” É APRESENTADO EM MISSAL

O programa tem como objetivo reduzir danos ao meio ambiente e beneficiar o produtor rural com práticas mais sustentáveis.

O programa tem como objetivo reduzir danos ao meio ambiente e beneficiar o produtor rural com práticas mais sustentáveis.
Anuncie aqui

Na tarde de ontem, dia 16, a Sicredi Vanguarda, em reunião de consulta pública, apresentou o Projeto Metano Evitado Sicredi. Através de suas cooperativas filiadas, o Sicredi realiza diversas iniciativas baseadas nos aspectos de ESG (ambientais, sociais e de governança, na sigla em inglês). Essas ações estão alinhadas com a Política de Sustentabilidade da instituição financeira cooperativa e seu compromisso com o Pacto Global e os objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), fortalecendo o propósito do Sicredi de “Construir Juntos uma sociedade mais próspera”.

Suinocultura

Na região, e em especial no Município Missal, terceiro maior produtor de suínos do Paraná, a suinocultura é uma importante atividade econômica, mas que pode gerar impactos socioambientais como a emissão de gases poluentes, odores, além do grande volume de resíduos orgânicos gerados. 

Para contribuir com uma atividade mais sustentável e rentável, o Sicredi apoia o produtor rural, e está desenvolvendo o Programa Metano Evitado Sicredi. A iniciativa de geração de créditos de carbono para a suinocultura tem como objetivo auxiliar os produtores rurais associados no acesso, treinamento e uso de tecnologias que evitam a geração de metano a partir dos dejetos orgânicos – reduzindo as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) e gerando créditos que podem ser utilizados para compensação das emissões de GEE e comercializados.

O projeto está sendo realizado em formato “piloto” pela Sicredi Vanguarda e outras cinco cooperativas incubadoras com atuação nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, sendo que na área de atuação da Sicredi Vanguarda, são nove suinocultores associados, sendo que um deles é Ernesto Schneider, morador da comunidade de Boa Esperança – Missal.

O engenheiro florestal, professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e doutor em Sustentabilidade Marcelo Langer, explica que a iniciativa, por meio do uso de aeradores propulsores e técnicas específicas, gera benefícios diretos e indiretos, tanto para o produtor rural quanto para o meio ambiente e, consequentemente, para toda a comunidade. “O projeto consiste na transformação do processo anaeróbico para aeróbico nas lagoas de resíduos da suinocultura e bovinocultura utilizando micro-organismos probióticos. Essa mudança permite obter um efluente com carga de nutrientes mais qualificada para fertirrigação, substituindo os adubos minerais e proporcionando uma melhoria na qualidade do solo e maior produtividade agrícola. Essa ação traz benefícios adicionais ao projeto, como a redução e o reuso da água, diminuição de doenças e mortalidades dos animais, eliminação de odores e de patógenos resultantes da decomposição anaeróbica dos dejetos. A ação também gera maior economia para o produtor e avanços na gestão da área rural, além da contribuição para a sustentabilidade por meio dos créditos de carbono. O processo ainda auxilia na diminuição de moscas e outros animais que podem causar pragas e doenças”, explicou o professor Marcelo Langer.

Presenças

Acompanharam a audiência Manfred Alfonso Dasenbrock – presidente da Central Sicredi PR/SP/RJ, diretores e equipe local da Sicredi Vanguarda, Adilto Ferrari – prefeito de Missal, lideranças locais e suinocultores.

Conexão com os ODS

O Sicredi, por meio das cooperativas filiadas, realiza diversas iniciativas baseadas nos aspectos de ESG (ambientais, sociais e de governança, na sigla em inglês). Essas ações estão alinhadas com a Política de Sustentabilidade da instituição financeira cooperativa e seu compromisso com o Pacto Global e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), fortalecendo o propósito do Sicredi de “Construir Juntos uma sociedade mais próspera”.

Anualmente, o Sicredi tem avançado na estratégia de Gestão de Emissões de GEE e Mudanças Climáticas. Por meio do apoio a seis projetos de créditos de carbono em diferentes regiões do Brasil, a instituição conseguiu neutralizar mais de 45 mil toneladas de carbono, correspondentes às emissões calculadas em seu Inventário de Emissões de 2021 e projetadas para todo o ano de 2022.

Somado a isso, em 2022, a Central Sicredi PR/SP/RJ recebeu pelo segundo ano consecutivo o Selo Clima Paraná. A cooperativa foi reconhecida na categoria A – Mercado Interno – devido às ações de ecoeficiência desenvolvidas para neutralizar gases de efeito estufa (GEE) emitidos pelas Cooperativas Sicredi que atuam no Paraná. 

Fonte: Portal Missal.

Anuncie aqui