Ethan e Ollie, os cães policiais estagiários do BPFRON são efetivados no canil da Polícia Militar do Paraná

Fofos e astutos. Os cães ajudam na interdição de drogas, armas de fogo, medicamentos, cigarros contrabandeados e demais produtos que são introduzidos de forma ilegal no país.

Anuncie aqui
Anuncie aqui

Dois cães policiais que estavam atuando no Pelotão de Operações com cães do BPFRON em caráter de avaliação foram efetivados para comporem o quadro de cães da PMPR. A efetivação dos cães Ethan e Ollie ocorre após ambos passarem por diversos exames médicos e treinamento específico de acordo com as necessidades de emprego desses cães na unidade e agora estão aptos a integrarem de forma definitiva o quadro de cães policiais do BPFRON, a unidade especializada da Polícia Militar do Paraná que atua na interdição de drogas, armas de fogo, medicamentos, cigarros contrabandeados e demais produtos que são introduzidos de forma ilegal no país, através da faixa de fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai, regiões Oeste, Noroeste e Sudoeste do Estado.

O Pelotão de Operações com Cães do BPFRON é referência no emprego de operações com cães na região nas modalidades de busca e captura de pessoas em mata, detecção de drogas, armas e até de cigarros contrabandeados. Os sete cães que compõem hoje o canil do BPFRON – somados aos dois recém efetivados, são treinados diuturnamente dentro e fora da unidade policial e empregados nas mais diversas formas no trabalho diário em ações policiais, inclusive com uso de aeronave, embarcações e em patrulha em áreas de mata.
O reforço dos dois cães já trouxe resultados. Ambos localizaram drogas em várias ocorrências registradas pela unidade já no período de treinamento e foram responsáveis pela prisão de dezenas de indivíduos suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas.

Para o Comandante do Pelotão de Operações com Cães do BPFRON, 1º Tenente Luis Eduardo Beiger da Luz, o reforço de dois cães traz também alegria a unidade. “São cães que ainda vão completar dois anos de idade, a pouco eram considerados filhotes e além do serviço, participaram de muitas brincadeiras e momentos de descontração entre os cães e os condutores.” Relata.

Perguntado sobre o cão que possui mais energia, Tenente Beiger responde que é o Ethan. “Não seria uma questão de mais energia, filhotes e cães dessa raça, Pastor Belga Mallinois que estão nessa fase de um a dois anos são geralmente brincalhões e gostam muito de brincar, isso obviamente também pode variar de acordo com a personalidade do cão. O Ollie nesse sentido é um pouco mais tranquilo, já o Ethan não deixa ninguém parado, quer brincar o tempo todo, então desse ponto de vista, seria o Ethan”.

Ethan foi responsável também pela necessidade de uma adaptação nas alas dos cães. “Tivemos que colocar um grampo na fechadura para impedir que ele entrasse na ala dos boxes. O Ethan quando entra nessa ala abre todas as portas dos boxes e solta os cães para brincar com ele. Vira uma festa com todos os cães soltos, correndo e brincando pela área de treinamento!”

Perguntado sobre a incorporação de outros cães no pelotão, Tenente Beiger comenta sobre a aposentadoria de alguns deles. “Temos sim interesse em expandir nosso canil, porém alguns de nossos cães já estão entrando na fase de aposentadoria, que é quando nós tiramos ele da carga da PM e ele vai pra casa, geralmente com o policial que o conduziu durante seu trabalho policial na PM após cerca de seis anos de serviço, mas esse tempo varia de cão pra cão assim como também consideramos as condições de saúde desse animal, queremos que eles tenham uma boa aposentadoria e tenham condições de usufruir dela com saúde. Gostaríamos de aumentar nosso efetivo de cães, mas como teremos que treinar novos cães para substituir os que irão se aposentar, o aumento do efetivo de cães pode demorar para acontecer”. Destaca o Tenente.

Sobre a temática da saúde dos cães, Tenente Beiger explica que eles recebem todo cuidado possível para se manterem saudáveis, passam por exames periódicos dos mais variados gêneros e é feito o monitoramento da saúde deles. Tenente Beiger comenta também que é importante desmistificar o fato de que cães que são empregados no uso policial, principalmente na detecção de drogas “são drogados”.

“Eles não entram em contato com as substâncias que depois vem a detectar, a substância não é ingerida ou inalada pelos cães, então podemos afirmar com total segurança que os cães não possuem nenhum contato com a droga, pra ele é um momento de brincadeira, que ele procura um odor específico para ganhar algum prêmio, no caso, uma bolinha, é tudo uma brincadeira pra eles. Também não há nenhum tipo de maus tratos durante os treinamentos. É pré-requisito para um policial entrar no Pelotão que goste de cães, que tenha afinidade com esses animais. Jamais aceitaremos qualquer tipo de maus tratos a animais, aos nossos cães por qualquer pessoa ou policial. Esses cães fazem parte das nossas vidas.”

Perguntado se qualquer cão pode integrar a corporação, ele explica que atualmente a PMPR atua com ênfase em cães da raça Pastor Belga Mallinois de linhagem para emprego de faro e busca. A genética dessa raça facilita o treinamento, já que os cães vêm de linhagens de cães que já atuavam na área. Os cães herdam as características dos pais, como o interesse nas ações de faro e busca.
Beiger relata que costumeiramente pessoas entram em contato com a unidade querendo doar seus cães para a PM.

“É muito bacana ouvir as pessoas falando que seu cão daria um bom cão policial, porque encontra facilmente seu brinquedo pela casa, ou é bom em cuidar da casa. Explicamos para pessoas todo o processo, o funcionamento, tudo que envolve colocar um cão na PM e qual raça e o porque da raça que usamos. Por outro lado, agradecemos pela confiança das pessoas em querer nos ajudar em nosso trabalho de combate a criminalidade e explicamos que não é possível colocar seu animalzinho na carga da PM”.

Ethan foi cedido ao BPFRON pela Companhia de Operações com Cães da Polícia Militar do Paraná localizada em Curitiba-PR. Ollie vem de uma parceria entre o BPFRON e o IDESF – Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras que resultou na doação do cão ao batalhão.

Ethan é conduzido pelo Tenente Beiger e outros dois policiais conduzem Ollie nos treinamentos e operações policiais.

Tenente Beiger também é condutor do cão Átila. Além do Pelotão de Operações com Cães, Beiger é comandante da 1ªCompanhia do BPFRON e Oficial P3 (Planejamento e estatística) da unidade. Ele é cinotécnico pela PMPR e possui Pós Graduação em Cinotecnia policial além de diversos cursos na área.

Anuncie aqui